segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

PILATES E ANDROPAUSA

A ANDROPAUSA OU CLIMATÉRIO VIRIL são termos usados para designar um quadro clínico de diminuição do hormônio masculino testosterona, que ocorre em uma parcela significativa de homens acima de 60 anos ou mesmo um pouco antes, a partir dos 50 anos. Determinados hábitos de vida e o stress psicogênico são alguns dos fatores contribuintes para esta ocorrência mais precoce.
O hormônio masculino testosterona é produzido por células nos testículos, que são estimulados por hormônios produzidos pela hipófise. Na adolescência, é responsável pelas características sexuais, como desenvolvimento do pênis, aumento dos pelos, mudança de voz e aumento da massa muscular. O testículo é responsável por 90% da produção de testosterona. Entre os fatores que podem determinar a andropausa está a falência e atrofiamento do testículo, que pode ocorrer em qualquer idade e causar a queda na produção do hormônio masculino. A diminuição da testosterona pode ser determinada também quando a hipófise para de exercer sua função de estimular os testículos.
A andropausa não é um processo isolado, mas parte de outro mais amplo que é a senescência, a qual ocorre a partir de várias idades e por uma série de fatores variados, dos quais o mais importante é a hereditariedade. Na senescência ocorre uma série de alterações nos níveis circulantes de hormônios, neurotransmissores, vitaminas e diversas outras substâncias, sendo que algumas destas alterações bioquímicas colaboram para o declínio da função androgênica do homem idoso.
A base fisiológica que fundamenta a variação individual nos níveis de testosterona observada em qualquer idade não está ainda bem elucidada. Além do próprio processo de envelhecimento, existem fatores fisiológicos e outros relacionados ao estilo de vida (alimentação, atividade física, sexualidade etc.) que influenciam a variabilidade destes níveis, e que devem ser considerados na avaliação do homem idoso. A hereditariedade é um deles.
Quanto aos fatores relacionados ao estilo de vida, uma dieta vegetariana e rica em fibras parece estar associada a níveis mais elevados de testosterona do que uma dieta a base de carnes com altos conteúdos lipídicos.
O tabagismo parece favorecer os níveis de testosterona em cerca de 5% a 10% em relação a não-fumantes jovens ou idosos. No entanto, análises de multirregressão variada indicam que fumar mais de 10 cigarros por dia leva a uma andropausa mais precoce, trazendo o início da mesma para menos de 50 anos.
O abuso de drogas e de álcool também pode acentuar o decréscimo de testosterona próprio da idade. O estresse, tanto físico quanto psíquico, é um potente redutor androgênico. Também há indícios de que o estresse psicogênico e a depressão em homens não idosos possam contribuir para um quadro de andropausa cada vez mais precoce.
Mesmo que a senescência reduza os níveis de testosterona, doenças intercorrentes nesta fase podem acentuar o declínio da produção do hormônio. O infarto agudo de miocárdio e as cirurgias causam declínios transitórios, ainda que intensos da testosterona livre. Já doenças crônicas induzem reduções mais prolongadas. Homens idosos com diabete tipo 2 têm níveis reduzidos de testosterona. A insuficiência renal crônica, a síndrome de apnéia noturna e algumas patologias endócrinas também podem intensificar o quadro de hipoandrogenismo no homem idoso.
Sintomas da andropausa:
• Diminuição da massa muscular
• Aumento do peso, sobretudo, aumento da gordura abdominal (principalemente visceral)
• Tendência à anemia e osteoporose
• Diminuição do interesse sexual
• Queda dos pêlos sexuais
• Dificuldade de ereção
• Maior sonolência
• Dificuldade de concentração
• Problemas de memória e dificuldade de concentração
• Apatia e depressão
Para verificar o possível quadro de andropausa, devem ser feitos testes de sangue, que medem o índice de testosterona livre e total e o nível de prolactina, que, se elevado, reduz a testosterona.
Os testes de ereção devem ser feitos por um urologista e deve ser medida a densidade óssea (densitometria óssea). Os homens com idade acima dos 40 anos devem realizar a medição de testosterona regularmente, principalmente se apresentar diminuição do interesse sexual e dificuldade de ereção associados ou não aos demais sintomas.
A estimulação da secreção hormonal pelo próprio corpo e a reposição hormonal é fundamental para que os homens com andropausa possam levar uma vida normal. O paciente então pode se beneficiar com o aumento da massa muscular, diminuição da proporção de gordura e combate a anemia e osteoporose, aumento do libido. Porém, se houver exagero no uso, pode haver crescimento das mamas, aumento do numero de glóbulos vermelhos no sangue, retenção de agua e sais minerais, aceleração do crescimento de tumores na próstata (pacientes que fazem reposição devem fazer uma avaliação da próstata a cada 6 meses). O uso na forma de reposição não induz a formação do tumor e sim apenas estimula seu crescimento. Por isso a necessidade dos exames periódicos para fazer diagnóstico precoce.
É importante ressaltar que as mudança dos hábitos alimentares, com a supressão dos açúcares, o equilíbrio entre os lipídios ingeridos, a perda de peso, exercícios físicos regulares e o monitoramento dos índices hormonais são a chave para o restabelecimento de um padrão de vida.
A isso, o PILATES se insere como um excelente aliado para trazer benefícios e auxiliar o equilíbrio na produção dos hormônios, aumentar a resistência imunológica, equilibrar as funções orgânicas e promover a reparação celular.

domingo, 18 de dezembro de 2011

PILATES EMAGRECE ?

A cada dia que passa mais pessoas se interessam por atividades de baixo impacto, as quais na maioria das vezes harmonizam o corpo e a alma, evitam lesões e ainda proporcionam um relaxamento, produzindo um estado físico/emocional que a maioria das pessoas busca em função de suas rotinas agitadas.
O Pilates faz parte desta nova tendência de exercícios. Pois é uma atividade feita através do auxílio de aparelhos e acessórios específicos, englobando uma série de movimentos fluentes que são executados calmamente e em poucas repetições, sem levar o praticante à exaustão. Pois a eficiência não está na quantidade, e sim na qualidade do movimento.
Trata-se de uma modalidade muito boa para o corpo, pois trabalha intensamente os músculos profundos e a região do “core”, além de tonificar musculaturas das pernas, dos braços e do tronco, modificando a aparência e as medidas corporais; deixando o corpo mais delineado. Promove ainda, uma melhora da oxigenação sanguínea, em função da respiração profunda que é realizada a cada movimento.
Quando o método não está sendo empregado para reabilitação, proporciona uma queima calórica (em média 400kcal por aula). Porém, este não é o seu objetivo principal.
O Método é considerado um exercício anaeróbico de baixo gasto calórico. Portanto, para as pessoas que buscam emagrecimento além de realizar um bom acompanhamento nutricional é indicado associar o Pilates com exercícios aeróbicos (caminhadas, ciclismo, natação, vôlei, tênis, dança ou outros) beneficiando o sistema cardiovascular e obtendo um maior gasto energético.

Fonte: ClubedoPilates

terça-feira, 22 de novembro de 2011

PILATES E DIABETES

Pilates desenvolve um Papel importante na prevenção e controle da Diabetes Mellitus, já que ajuda a controlar o peso e diminuir o nível de açúcar no sangue.
A diabetes é uma desordem do metabolismo, o processo que converte o alimento que ingerimos em energia. Durante a digestão os carboidratos são absorvidos pelo corpo em forma de glicose. A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, é o fator mais importante neste processo. O diabético não produz a quantidade necessária de insulina, por outro lado, a glicose em vez de transformar-se em energia se acumula no sangue ocasionando graves problemas.
Para o diabético é importante fazer exercícios, no entanto, deve cuidar da intensidade e do tipo de exercícios que realiza. A pessoa com diabetes deve ser avaliada de forma adequada antes de entrar em qualquer exercício físico. O exercício sem supervisão pode ter efeitos negativos, por exemplo, levantar peso demais aumenta a pressão nos vasos sanguíneos dos olhos. Da mesma forma outras pessoas podem ter problemas com os nervos dos pés ou das pernas, e estão suscetíveis a lesões.
Pilates é recomendado especialmente para pessoas cujo a saúde não permite praticar esportes e atividades fortes e com risco de gerar lesões. Pilates não requer grande força física nem de longas horas de exercício, e é de baixo impacto.
Os exercícios aeróbicos e anaeróbicos ajudam a melhorar os níveis de glicose no sangue. No exercício aeróbico, o primeiro elemento que se consome é a glicose já convertida. No exercício enaeróbico (PILATES), é feita a queima de carboidratos (antes de ser convertido em glicose) e gordura mais rápido aumentando o gasto das calorias, ou seja, ajudam a melhorar a combustão da glicose e isto muda a maneira com que o corpo reage a insulina, aumentando a sensibilidade do corpo ao mesmo.
Os altos níveis dos hormônios provenientes da tensão aumentam o nível de açúcar no sangue. O Pilates pelo contrário pode ajudar a melhorar sua saúde baixando o nível de estresse.
Pilates reduz o risco de problemas do coração que é um dos sintomas freqüentes das pessoas que tem diabetes. Melhora a circulação arterial, prevenindo de problemas cardíacos, a função intestinal, a circulação nos membros inferiores, reduzindo o mau colesterol e elevando o bom, mantendo os ossos fortes, reduzindo o risco de quedas, aumenta a energia e ajuda a manter a estabilidade emocional.
O Pilates pode ser um elemento importante no controle de diabetes. No entanto, o diabético deve cuidar de sua alimentação e seguir rigorosamente as recomendações médicas.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Pilates e a produção de endorfina

 

Pilates e a produção de endorfina Imagem: Internet
O Método Pilates melhora seu estado de ânimo porque coloca em circulação em seu corpo endorfina. Esta substância atua diretamente sobre o cérebro produzindo uma sensação de bem-estar e relaxamento imediato.
Ao desfrutar de atividades de lazer o cérebro libera endorfina. Ela é analgésica, melhora as defesas orgânicas ante as enfermidades, e libera saúde e vitalidade. A endorfina é um dos melhores antídotos naturais para o estresse, a ansiedade, o cansaço, a tristeza, a degeneração celular e as infecções.
Também aumenta o bem estar e alivia a dor. Apesar de que estudiosos se mostram cautelosos para apresentar uma explicação, mas se sabe que quando se realizam atividades físicas fortes o cérebro produz uma grande quantidade de endorfina.
A principal ação da endorfina é bloquear os “detectores de dor” no cérebro. Algumas vezes ela tem efeitos mais potentes que os opiáceos que estão presentes na morfina, na heroína e na codeína. Mas, a endorfina não possui os efeitos colaterais/secundários que carregam as drogas ao sistema nervoso.
A endorfina é produzida com as risadas e com a estimulação dos sentidos: visão, olfato, tato, paladar e audição. Para desfrutar de algo assim, exige sua total atenção e não deves estar dividido ou desatendo, mas concentrado no “aqui e agora”. A concentração no método Pilates é fundamental para a correta realização dos exercícios e para desfrutar-se de todos os benefícios.
Sabe-se que o estresse e a ansiedade possuem padrões de reação física caracterizados pela tensão muscular, respiração acelerada e superficial. O Método Pilates equilibra a ansiedade e relaxa os músculos tensos. No Método Pilates se fazem respirações profundas e completas. Um dos melhores benefícios daqueles que desfrutam e praticam o Método Pilates é o bem-estar.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

CURIOSIDADE

O Fígado na visão Medicina Tradicional Chinesa
Onde nasce o verdadeiro equilíbrio emocional
Na visão da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) o fígado, do ponto de vista energético, está estreitamente envolvido com a vesícula biliar (postura e decisões), mas também com os olhos (sentido da visão), ombros, joelhos e tendões (flexibilidade), unhas, seios e todo o aparelho reprodutor feminino.
Na MTC se diz que o fígado é o órgão mais importante para a mulher, assim como o rim o é para o homem. Praticamente todo o sistema reprodutor feminino é regido pelo fígado, responsável por alterações no ciclo menstrual, presença de cistos de ovário, miomas uterinos, corrimentos ou prurido vaginais, alterações da libido como frigidez e impotência. O fígado é responsável por manter o livre fluxo da energia total do corpo. Como o movimento do sangue segue o movimento da energia, dizemos que o fígado direciona a circulação do sangue e regula também o ciclo menstrual.
Mas seu papel mais importante, é sem dúvida, sobre o equilíbrio emocional. É o livre fluir da energia do fígado que vai nos permitir responder vitoriosamente aos desafios da vida, aos estímulos emocionais e afetivos, 24 horas por dia, cada segundo de nossa vida, sem parar.
Daí começa a responsabilidade e respeito que devemos ter pelo nosso fígado e sistema hepático. E, já podemos deduzir sobre o desgaste intenso ao qual este sistema é submetido no cotidiano da vida moderna. Pouco se sabe sobre sua importância e como auxiliar, ser cúmplice, do fígado nesta missão existencial: equilíbrio emocional e afetivo. Visão, flexibilidade, postura e decisões.
Pelo contrário, só pela má alimentação e sedentarismo, a cultura ocidental faz de tudo para fragilizar o sistema hepático. Os maus hábitos alimentares e de vida levam ao seu desequilíbrio funcional, que leva ao desequilíbrio emocional, que desencadeia mais maus hábitos alimentares e de vida. Este desequilíbrio energético pode se manifestar de várias formas. Dependendo da sua localização: insônia, enxaqueca, hipertensão, problemas digestivos, TPM, etc.
Os problemas ligados ao fígado podem ser por falta ou por excesso de energia circulante. Um bom exemplo de excesso é a raiva, mais exatamente a raiva reprimida e, num quadro de vazio energético, temos a procrastinação e o medo paralisante ou síndrome de pânico. A estagnação do fluxo de energia do fígado freqüentemente desequilibra o emocional, produzindo sentimentos de frustração e ira. Essas mesmas emoções podem levar a uma disfunção no fígado, resultando em um ciclo interminável de causa e efeito.
Como todas as emoções, boas ou más, passam pelo fígado, não devemos reprimi-las infinitamente. A repressão das emoções provoca um bloqueio da energia que leva ao excesso de calor no fígado. Cabe uma distinção entre sentimento e emoção. Os sentimentos geralmente fortalecem os órgãos e servem como mecanismos de defesa para o organismo. Uma certa irritação que nos leva a reagir diante de um ataque ou quando nos sentimos lesados, é diferente da raiva que é cega e destrutiva.
Os olhos são a manifestação externa do fígado. Em outras palavras, o fígado rege o sentido da visão. Assim, patologias da visão irão sinalizar alguma alteração no fígado. As mais comuns são: conjuntivites, olhos vermelhos sem processo inflamatório, coceiras, "vista" seca, visão fraca, embaçada ou borrada, terçol, pontos brilhantes que aparecem no campo visual e outros.
A lágrima é a secreção interna que ajuda a aliviar o fígado. Cuidado com olhos secos. Daí vem a importância do exercício de “piscar os olhos” (sempre – não esquecer) e de não reprimir o choro, embora nem sempre seja conveniente socialmente. Mas, acredite, conter o choro faz mal à saúde. Ah! Uma forma divertida de chorar/lacrimejar é deixando o riso fluir, acontecer no seu dia-a-dia, na sua vida.
As unhas são outra manifestação externa das condições do fígado, e as suas deformidades ou a presença de micose sugerem algum comprometimento do fígado ou desequilíbrio prolongado da sua energia.
O fígado rege as articulações do ombro e joelhos e também os tendões de modo geral. Assim sendo, as bursites e dores nos joelhos sem causa aparente, são sinais de comprometimento da energia do fígado. As tendinites e os estiramentos freqüentes também estão neste quadro.
Todo órgão está associado a uma víscera que, no caso do fígado, é a vesícula biliar. Resumidamente, a vesícula atua mantendo o equilíbrio postural. Todos os quadros de tonturas, vertigens, labirintites estão ligados a ela. Rege a articulação tempero mandibular (ATM). Todas as tensões que ficam retidas no fígado podem ser descarregadas nesta região e produzir o bruxismo, que é um quadro de ranger os dentes, que se manifesta mais freqüentemente durante o sono.
Metafisicamente a vesícula biliar comanda a capacidade de tomarmos decisões assertivas. Uma vesícula desequilibrada se manifestará na forma de indecisões ou mesmo desorientações, perda de rumo.
E, para resumir e partir o mais rápido para a ação de cumplicidade "de bem com o fígado":
- desintoxicar-se diariamente com o aumento do consumo dos alimentos de origem vegetal, maduros, crus, idealmente orgânicos e integrais;
- desintoxicar-se diariamente praticando a terapia do riso, as brincadeiras, as artes, o lazer;
- praticar atividade física moderada diariamente. Vocês não têm noção de como este hábito é vital para o livre fluxo de energia do fígado;
- os sabores ácido e amargo, assim como os alimentos de cor verde são os maiores aliados do fígado. Entretanto, na primavera, evite exagerar nos sabores ácidos e picantes.
- evitar intoxicar-se com alimentos muito gordurosos (pela qualidade, gordura animal e óleos refinados, como pela quantidade), frituras, açúcar, café e álcool;
- evitar vida sedentária e estressante, o mau humor, ilusões e grandes expectativas. Medite e viva na REAL.
Fontes:
http://saude.hsw.uol.com.br/orgaos-yin4.htm
http://www.centroculturaltao.com.br/saude/05.htm

Conceição Trucom é química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para o bem-estar e qualidade de vida.
Reprodução permitida desde que mantida a integridade das informações e citada a autora e a fonte.

DOR NO OMBRO

 



Um dos maiores causadores de dor no Ombro é a lesão do Manguito Rotador (conjunto de 4 músculos: subescapular, supra-espinhoso, infra-espinhoso e redondo menor). Esses músculos cobrem a cabeça do úmero (parte do osso do braço que se conecta com a Cintura Escapular: escápula e clavícula); e são responsáveis pela estabilização, força e mobilização.

CAUSAS DA LESÃO

Existem diversas formas de lesionar o ombro: Impacto por quedas e acidentes (fraturas, luxação, distensão muscular, etc), movimentos repetitivos (tendinites e bursites) e degeneração (artrose). Porém a dor pode aparecer mesmo sem ter havido nenhuma lesão, você de repente acorda com a dor e nem sabe de onde veio. Normalmente isso acontece devido a uma mecânica de movimento faltosa ao elevar o braço.

COMO ISSO ACONTECE?

Todo o movimento do braço está diretamente conectado à escápula (antigo omoplata) que é um osso chato que se encontra nas costas. Se você elevar um dos ombros em direção às suas orelhas com a mão sobre ele e dedos sobre o osso mais atrás, vai sentir que esse osso desliza pra cima e, quando você distancia o ombro das orelhas ele escorrega para baixo, como se a ponta inferior desse osso (escápula) quisses ir em direção ao bolso traseiro da sua calça. Esse deslocamento da escápula é muito importante e deve ser feito sem muito esforço, para não causar tensões no trapézio, músculo sobre os ombros perto do pescoço. No dia a dia, acostumamos colocar ali todo o estresse e as tensões, e sem perceber vamos comprimindo os ombros e trazendo eles cada vez mais perto das orelhas… Mas, se você prestar atenção, vai sentir que ao dirigir os ombros estão tensos, ao atender o telefone, ao cozinhar… e é esse acúmulo de tensões que irá causa as dores no pescoço e nas costas… O problema maior é que, esse novo hábito de mater os ombros elevados vai influenciar nos movimentos dos braços. Tudo porque na escápula tem uma pontinha saliente na parte superior sobre o ombro quase na articulação (o acrômio) e, quando o ombro está elevado, essa pontinha vai deslizar à frente podendo pinçar o nervo ou o tendão que passa por baixo dela indo em direção ao braço. Esse pinçamento ou compressão, poderá trazer lesões caso o braço seja elevado acima da altura dos ombros com uma sobrecarga, isto é, se você estiver carregando algo pessado; podendo até ocasionar ruptura parcial ou total do tendão.

É importante lembrar que, fazer a correção do movimento, num exercício lento não é tão difícil, o mais difícil e conseguir fazer isso no dia a dia, quando você está com milhares de coisas na cabeça. O Pilates vai te ajudar nessa transferência, desafiando o controle em exercícios de alta complexidade e em diferentes posições. Você tem o auxilio das molas para fortalecer graduamente, respeitando as suas limitações.

Fonte: http://tatipilates.wordpress.com/2008/05/01/dor-no-ombro-e-o-manguito-rotador/

Um gde abraço
MALU

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

BURSITE E A INTERVENÇÃO DO PILATES

Bursite é uma inflamação ou irritação da bursa, uma pequena bolsa com líquido que se localiza entre o osso e as estruturas móveis como os músculos, tendões e peles. Envolve as articulações e permite um maior deslizamento entre as estruturas, além de absorver impactos, protegendo os ossos, tendões e tecidos musculares, evitando lesões.
Qualquer bursa do corpo está sujeito a ser afetado, mas os mais frequentes se dão nos cotovelos, punhos, dedos, quadris, joelhos, tornozelos, pés e principalmente nos ombros. Este último, devido à grande quantidade de bursas contidas nesta região. Os sintomas são: dor (principalmente noturna) e rigidez, restrição de movimentos, edema e inflamação.
Bursites são condições normalmente temporárias, mas podem se tornar crônicas. Normalmente a inflamação da bursa se dá por traumas, movimentos repetitivos ("overuse"), uso excessivo das articulações ou lesões por esforço, tendo o quadro agravado quando o indivíduo tem um condicionamento físico ruim, má postura ou usa o membro afetado em uma posição forçada e desajeitada. E ocasionalmente, também poderá ser causada por uma infecção (artrite séptica) dentro da bursa ou ao redor do tendão. Tal inflamação acaba gerando um inchaço que pressionará a bursa induzindo à uma inflamação também neste local, resultando na bursite. or isso, a bursite pode estar associada a outros problemas como artrose, artrite reumatóide, osteoporose e gota.
O tratamento se basea na causa. Em casos de "overuse" ou trauma, é indicado o repouso. A postura e o posicionamento correto durante atividades traumatizantes é importante para prevenir lesões reincidentes. O uso de "splints" (talas de plástico) na área afetada como imobilização, calor úmido, e outras terapias físicas ajudam na melhoria da dor aguda.
Medicamentos como antiinflamatórios e corticosteróide (infiltração ou uso sistêmico) são úteis no processo inflamatório e o antibiótico é necessário em casos de infecção. A intervenção cirúrgica em bursite não é freqüente. Porém, procure sempre orientação médica e nunca tome medicação por conta própria.
Uma vez controlado o ataque agudo, deve ser iniciado o trabalho de prevenção e/ou correção dos fatores causais. Como houve muita dor, os movimentos acabam limitados e se dá um quadro de tensão e fraqueza muscular, além de dor de cabeça e formigamento. Então as atividades da vida diária ficam comprometidas.

Com a prática do PILATES, a qualidade e o equilíbrio muscular serão enfatizados através de exercícios específicos e holísticos de força, flexibilidade e estabilização. Os braços, pernas e quadris estarão mais preparados para suas funções, a coluna estará mais alinhada, alongada e fortalecida. Haverá um reequilíbrio dos músculos esqueléticos de forma geral e a ergonomia será otimizada, conduzindo a uma redução considerável dos impactos nas articulações, e sobretudo nas bursas, amenizando o atrito e as inflamações e, consequentemente, as dores serão estabilizadas e previnidas. E então, a auto-estima fluirá de forma natural. Requisitos esses, fundamentais para prevenir novas lesões e/ou recorrências das antigas.
 

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Pilates aumenta a sua flexibilidade e liberdade de movimentos

1. Seu corpo vai ficar melhor alinhado, evitando desequilíbrios e melhorando sua postura. Isso é particularmente útil para os esportistas, por exemplo: pense em um jogador de tênis, constantemente rebater a bola usando o mesmo braço ou um jogador de golfe sempre balançando de um mesmo lado.
2. Você vai tornar seu corpo mais ciente e melhor coordenado, melhorar suas habilidades proprioceptivas (a maneira como seu corpo se move no espaço).
3. O espaço entre as vértebras será aumentado, isso irá minimizar a pressão sobre os discos e nervos. Não há dúvida de que o Pilates irá prevenir problemas nas costas ou ensiná-lo a gerenciá-los.
4. Você vai construir força no núcleo para ajudar a apoiar a coluna e manter uma boa postura. Muitos de nós têm a postura que está longe do ideal, muitas vezes a causa de muitos problemas de saúde, principalmente problemas nas costas.
5. Todos os músculos são trabalhados de modo que, todo o corpo pode trabalhar junto em vez de uma área ficar sobrecarregada.
6. Flexibilidade e mobilidade serão substancialmente melhoradas ao longo do tempo, para que o corpo possa se mover livremente, sem colocar tensão indevida sobre as costas.
7. Você vai aprender a respirar corretamente e de forma eficiente, para que a abundância de oxigênio possa atingir todas as partes do corpo, principalmente da coluna vertebral. Respiração alivia o stress e pode reduzir a pressão arterial elevada, assim como de energia crescente.
8. A condição e força de seu assoalho pélvico será grandemente melhorada, pois o assoalho pélvico é parte do núcleo reduzindo os problemas de incontinência. Um grande problema e não apenas para as mulheres!
9. Seu corpo vai mudar de forma, e para melhor! Proporcionando um corpo magro e físico tonificado.
10. Os exercícios aumentam os níveis de serotonina e endorfina, que promovem sentimentos de bem-estar e de meditação. São agora amplamente utilizados como uma forma de lidar com a depressão. Pilates é uma excelente maneira de ajudá-lo a levar uma vida feliz e positiva.

Fonte: yogapilatesabudhabi.com

UM GRANDE ABRAÇO A TODOS - MALU

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Pilates é bom para mãe e o bebê

Com a chegada da gravidez, por conta daquela moleza inicial e excesso de sono, as grávidas deixam de praticar atividades físicas. Certamente algumas atividades não são muito adequadas, mas existem outras que além de permitidas são indicadas. A ênfase dada pelos movimentos do pilates aos músculos do assoalho pélvico facilita o trabalho do parto normal, diminuindo o esforço realizado pela mãe na hora do nascimento do bebê. Por ser uma atividade que promove o condicionamento físico, trabalhando principalmente a região do core, que contempla o conjunto de músculos abdominais e dorsais, o pilates proporciona um fortalecimento significativo para melhora da postura e principalmente do equilíbrio.
A atividade é indicada a partir do terceiro mês de gestação e os exercícios são adaptados conforme a evolução da gravidez. Segundo a coordenadora técnica da Pilates StudioFit, Letícia Toledo, algumas posições são evitadas “Dependendo do mês de gestação, algumas posturas tornam-se incômodas e por isso geralmente optamos por exercícios em quatro apoios e os em decúbito lateral, devido ao posicionamento da barriga, preservando, assim, o conforto da gestante”, esclarece a professora. Os movimentos ajudam a melhorar a circulação sanguínea, principalmente dos membros inferiores e ajudam a evitar cãibras.
A prática regular e sempre acompanhada de um profissional alivia as tensões na parte superior das costas e o bebê, por sua vez, recebe mais oxigênio e é também beneficiado pelo envio de endorfina (hormônio do relaxamento e bem-estar) via placenta. O crescimento do bebê torna-se mais adequado devido ao controle de peso por parte da futura mamãe. E após o nascimento a mulher pode retomar os exercícios a partir de 30 dias do nascimento do bebê, independente se for realizado parto normal ou cesárea.
Autora: Liliane Ferrari

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

PILATES E ADOLESCENTES



Ao criar seu método, Joseph Pilates objetivava um trabalho de condicionamento muscular esquelético (força, flexibilidade e resistência), estabilidade do centro do corpo (enfatizando a cintura pélvica e escapular), o alinhamento corporal e a respiração, atendendo todas as idades. Pense agora no atual perfil dos jovens: crescimento acelerado que ocasiona dores; desajustes posturais ocasionados por motivos diversos (mochila pesada, má postura ao se sentarem no colégio, em frente ao computador e à tv, horas de sono insuficientes ou excessivas); e ocasional sedentarismo, que contribui para o encurtamento muscular, (que também pode estar ligado ao rápido crescimento). Vale lembrar que grande parte das alterações posturais, em especial aquelas relacionadas com a coluna vertebral, têm sua origem na infância e adolescência, fase de crescimento e desenvolvimento corporal.
Nessa situação, fica claro que praticar Pilates na adolescência pode ser uma ótima idéia, pois ele trata de estímulos que adaptam de uma forma ativa o corpo a uma boa postura. Os profissionais de saúde têm indicado a modalidade, mas atualmente estamos sendo surpreendidos com jovens bem informados. A maior parte deles já procura os espaços de prática sabendo dos benefícios que ela proporcionará e escolhendo a modalidade sem influência dos pais. Por outro lado, acreditamos que a divulgação por parte de artistas e celebridades possa também ter alguma influência nessa escolha.
O adolescente, encontrando um profissional que realiza um trabalho sério, fazendo com que o praticante sinta-se à vontade em suas aulas, mantêm sua freqüência e, com o passar de cada aula, sente as diferenças e benefícios do método. Nessas condições, acaba escolhendo o Pilates como a sua atividade física principal, mesmo tendo históricos desanimadores em outras modalidades, tais como esportes coletivos, por exemplo. Como benefício adicional, o aluno aperfeiçoa sua coordenação motora, se a mesma não foi bem trabalhada em sua infância, e consegue melhorar sua concentração e a consciência corporal, que são afetadas nesta fase de turbilhão de hormônios. Mas também existem adolescentes que encontram no pilates a oportunidade de aperfeiçoar sua técnica como alunas bailarinas, nadadores, ciclistas, … ou recuperando-se de lesões por exemplo e conhecendo o lado da reabilitação.
Outro aspecto que vivenciamos ao acompanhar o trabalho com o adolescente é a melhora na auto-estima, pois as práticas possibilitam que o jovem sinta um domínio maior sobre seu corpo, vivencie melhoras físicas e, psicologicamente, permite maior afirmação perante o meio social. Ele gosta das transformações e isso pode revolucionar positivamente a fase que está vivendo, incorporando confiança à sua rotina. E como o trabalho é individual, um bom relacionamento entre instrutor e cliente resulta num treino específico com o devido estímulo e desafios além da avaliação periódica, pois a evolução ocorre de maneira muito rápida. É importante que o instrutor esteja ciente do seu papel e dos procedimentos que devem ser seguidos para o bom andamento do trabalho e quem sabe um bate papo com o aluno seja interessante para conhecermos os gostos do aluno, entendermos suas preferências, inclusive sobre os aparelhos, acessórios e exercícios, e tentar proporcionar um ambiente agradável, que os deixe confortáveis.
Numa pesquisa pela internet, não encontramos dados sobre projetos que utilizam Pilates em colégios no Brasil, mas nos EUA, por exemplo, encontramos projetos orientados à superação do sedentarismo e à educação postural, como uma disciplina curricular adicional. Um dos projetos, chamado Adolescentes Ativos, é realizado na Sierra Middle School (rede de colégios localizados em vários estados), e usa o Pilates como uma ferramenta que estimula a prática junto com uma alimentação saudável, de maneira que o adolescente seja um propagador de hábitos saudáveis em casa e entre os amigos.
Autora: Gerusa Silécia Gurak

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Doença de Parkinson e Exercícios Físicos

Encontrei um trabalho muito interessante publicado recentemente na revista Brain & Cognition. [Benefits of physical exercise on executive functions in older people with Parkinson’s disease. Brain and Cognition 69 (2009) 435–441] Este trabalho foi realizado por pesquisadores brasileiros da UNESP e investigou o efeito do exercício físico sobre as funções executivas de pacientes com doença de Parkinson.
O que eu achei mais legal foram os fundamentos teóricos e as evidências que justificam os benefícios dos exercícios físicos para a saúde do cérebro. Eu não vou traduzir na íntegra este artigo, mas vou comentar as passagens que eu considero mais interessantes. Quem quiser ler, deixe um comentário que eu mando o artigo.
Então vamos começar com uma pequena definição: O termo funções executivas (FE) designa os processos cognitivos de controle e integração destinados à execução de um comportamento dirigido a objetivos, necessitando de subcomponentes como atenção, programação e planejamento de seqüências, inibição de processos e informações concorrentes e monitoramento. O lobo frontal, particularmente a região pré-frontal, tem sido relacionado com essas funções. Aqui temos o primeiro fato interessante do artigo. Ora, aprendemos na faculdade que a doença de Parkinson afeta a substância negra (mesencéfalo) relacionada aos movimentos voluntários, cursando classicamente com bradicinesia, tremor de repouso e rigidez plástica. Mas agora fica a pergunta: Como a degeneração de uma estrutura subcortical é capaz de afetar funções cognitivas relacionadas ao córtex cerebral ?
Pois bem, eu não sabia, mas a degeneração da substância negra e a conseqüente redução da atividade dopaminérgica afeta o funcionamento da via Nigro-estriatal e das vias do núcleo de Meynert . Estas duas vias possuem conexões com o córtex cerebral e portanto são capazes de influenciálo. A degeneração destas vias tem importantes repercussões neurofisiológicas como:
(a) A ruptura do circuito nigro-striatum-thalamus-cortical o qual interconecta o striatum ao córtex pré-frontal
(b) Causa déficits colinérgicos relacionados à degeneração dos neurônios do núcleo basal de Meynert e dos neurônios segmentais do tegmento pedunculo pontino-lateral .
O segundo fato interessante deste artigo é a descrição de como exercícios físicos beneficiam a função cerebral. São citados 6 trabalhos que sugerem que o exercício físico regular é capaz de:
(1) induzir fatores neurotróficos que beneficiam neurônios glutamatérgicos, os quais influenciam o aprendizado, função e possui efeitos angiogênicos.
(2) Promover a neuroplasticidade, e
(3) melhorar a função cognitiva.
Assim, a resposta à pergunta: Exercícios físicos beneficiam a Função executiva de pessoas com Parkinson? Pode ter um efeito direto sobre intervenções que visem prolongar independência e autonomia destes pacientes. Neste sentido exercícios físicos poderiam ser um fator contribuinte na lentificação do declínio cognitivo destes pacientes, e portanto de grande impacto para a qualidade de vida destas pessoas.
O estudo conclui que 6 meses de exercícios físicos regulares é capaz de beneficiar a função executiva de pacientes com Parkinson.

Pilates é usado no tratamento do mal de Parkinson

Sistema de exercícios aumenta a força e flexibilidade de pacientes com tremores e falta de equílibrio.

O Pilates como uma ferramenta a mais de pacientes parkinsonianos. Este foi o tema escolhido pelas fisioterapeutas Jaqueline Mattos e Rosana Dutra para trabalho de conclusão do curso de formação na técnica de Pilates. Neste trabalho as alunas falaram dos benefícios da técnica para quem sofre com disfunções dos padrões dos movimentos, a exemplo de tremores, anormalidades posturais, diminuição da amplitude do movimento e do equilíbrio e fraqueza muscular.

“Se os exercícios forem utilizados de forma segura e de maneira correta traz muitos benefícios ao paciente”, garante Jaqueline Mattos. Mesmo sem contar ainda com o aval de publicações científicas que atestem os benefícios do uso terapêutico do Pilates no tratamento de pacientes com Mal de Parkinson, as fisioterapeutas se respaldaram num estudo de caso.

Nos casos que o Pilates pode ser utilizado como mais um recurso, a estimulação deve acontecer o quanto antes. Os exercícios lentos, solo ou utilizando aparelhos e acessórios, contribuem para a manutenção do equilíbrio, da consciência e movimentação corporal.

“O mais interessante do Pilates é o tratamento de reeducação neuromuscular. Os aparelhos permitem que a gente simule as atividades funcionais cotidianas, como agachar, sentar, de forma confortável para o paciente”.

A estimulação precoce - acrescenta a especialista - feita com todo cuidado e observando as especificidades de cada paciente, podem minimizar sintomas como perda do equilíbrio e encurtamento dos movimentos.

Fonte: Revista Pilates
http://espacofisiopilates.blogspot.com/2007/12/pilates-usado-no-tratamento-do-mal-de.html

UM GRANDE ABRAÇO A TODOS
MALU

terça-feira, 16 de agosto de 2011

PILATES E FIBROMIALGIA

A Síndrome de fibromialgia é uma doença do sistema nervoso central que afeta em quase sua totalidade as mulheres acima de 30 anos. Facilmente confundida e pouco entendida, caracteriza-se por frequentes dores musculoesqueléticas e tendinosas de forma generalizada, difusa e crônica. Ainda, a síndrome apresenta hipersensibilidade em múltiplos locais, fadiga, rigidez matinal, sono perturbado, ardência, dor em pontadas, câimbras,e algumas vezes, com queixas vagas de sensação de inchação ou parestesias que podem variar com a hora do dia, tipo de atividade, clima, padrão de sono e estresse. 


Além disso, é possível que haja cefaléias e enxaquecas, dor abdominal, constipação alterando-se com diarréia e irritabilidade na bexiga. Entretanto, não se encontra anormalidades bioquímicas, imunológicas ou anatômicas constantes na fibromialgia, assim como não há deformidades e comprometimento das articulações e dos movimentos.

Esta condição é considerada uma síndrome porque engloba um conjunto de manifestações que podem ocorrer simultaneamente em diferentes doenças. 






Esses são os pontos dolorosos que indicam uma possivel fibromialgia.




A causa e os mecanismos que provocam esta doença não estão perfeitamente esclarecidos. Sabe-se que o sono prejudicado altera funções fundamentais como a produção de serotonina e outros neurotransmissores provocando mudanças de humor, desânimo, maior sensibilidade aos estímulos dolorosos, e que também podem estar relacionados com a diminuição do fluxo de sangue que ocorre nos músculos e tecidos superficiais encontrados na fibromialgia. Então, é possível que haja relação entre a fibromialgia e algumas formas de depressão e de ansiedade.

Ainda, há especulações de que a fibromialgia pode ser premonitória de psicose ou hipotireoidismo. Devido à maior sensibilidade das pregas cutâneas nesses indivíduos, várias tentativas de demonstrar a existência de anormalidades periféricas localizadas foram realizadas, assim como a especulação de que a fibromialgia seja um distúrbio da modulação da dor.

O tratamento da fibromialgia pode incluir medicações para diminuir a dor e melhorar o sono, e acupuntura para tratar a ansiedade ou induzir o sono e diminuir as dores. 

Também, é fundamental a prática de exercícios físicos orientados por profissionais capacitados, visando entre outros, o condicionamento muscular e manutenção da amplitude aticular.

O método Pilates por sua vez, age como um grande aliado aos casos de fibromialgia. Pois o fortalecimento e alongamento muscular estão presentes a todo momento nos exercícios de forma holística, suave, e progressiva, sempre respeitando a fisiologia muscular e biomecânica articular. Através do direcionamento dos programas de exercícios de Pilates para cada caso de fibromialgia, observa-se o alívio da dor, a restauração da amplitude de movimento e da flexibilidade, bem como a melhora da capacidade de se concentrar e executar as atividades da vida diária, muitas vezes prejudicadas pela doença, assim conduzindo a uma qualidade de vida otimizada. Ainda, por apresentar um ambiente mais tranquilo e uma conexão da mente com o corpo, somados às técnicas de respiração, movimentos fluidos e centralizados, também se dá a promoção do relaxamento, diminuido a tensão muscular. A liberação de hormônios e neurotransmissores são estimuladas, e ao término de uma aula de Pilates o indivíduo se sentirá revigorado, com uma sensação de bem-estar, e ainda observará melhoras no sono. Então, há a possibilidade de diminuição da dosagem dos medicamentos.
 
 
UM GRANDE ABRAÇO A TODOS!!!

domingo, 7 de agosto de 2011

PILATES E ARTROSE

A artrite ou artrose, conhecida como doença de desgaste do osso, é muito comum e atinge as pessoas idosas A artrose pode ter várias causas: desgaste das articulações (osso com osso), envelhecimento, abuso nos movimentos repetitivos e de impacto nas articulações, como também carregar muito peso.Pessoas com artrose têm freqüentes dores nas costas, o que pode aumentar a curvatura lombar (lordose). A prática do Método Pilates ajuda a amenizar essas dores, porque fortalece a musculatura das regiões do abdômen, coxas e dos glúteos, desenvolve a flexibilidade e o controle motor.

A intensidade da dor pode chegar a interferir no dia-a-dia das pessoas, ao diminuir a amplitude de seus movimentos e dificultando atividades  comuns como  andar, ficar  em pé, sentar, subir e descer escadas, colocar meias, amarrar o cordão do sapato. “Os exercícios de Pilates ajudam a manter e a melhorar os movimentos e a execução das atividades de vida diárias. Além disso, o método é recomendável por melhorar a circulação sangüínea, a postura e função respiratória proporcionando saúde e bem-estar.”
São mais de mil tipos de exercícios precisos e simétricos, executados em aparelhos diferenciados ou no solo (MAT Pilates). A aula pode ser em grupo ou individual e dura normalmente uma hora.


Artrose, você sabe o que é isso?

Artrose, osteoartrose ou osteoartrite é uma patologia caracterizada pela destruição da cartilagem articular, causando dor, deformidade e comprometimento das funções da articulação. É a mais freqüente das doenças articulares, podendo acontecer em ambos os sexos, mas, tem maior acometimento nos idosos e nas mulheres. A sua ocorrência aumenta de modo significativo em pessoas com idade avançada. 
Todas as articulações podem ter artrose, porém, normalmente as articulações mais comprometidas são as dos joelhos, da coluna, do quadril (articulações que suportam muitas cargas), e a dos dedos (devido aos esforços e movimentos repetitivos).
Os principais sintomas são dores, ruídos e inchaços articulares, rigidez articular (principalmente matinal), além de deformidades e diminuição da capacidade de movimentação da articulação.

A causa da artrose pode estar relacionada a vários fatores, tais como, microtraumatismos de repetição, cargas articulares excessivas, obesidade, atividades ocupacionais, fatores metabólicos, endócrinos e hereditários.

O diagnóstico da artrose normalmente é realizado por meio de exame clínico, da história relatada nas consultas e dos achados radiológicos do paciente. Porém, em alguns casos, podem ser necessários outros exames laboratoriais.

A progressão da artrose pode ocorrer de maneiras bastante diversificadas. Em algumas pessoas a doença pode progredir até a destruição da articulação; em outras, pode evoluir muito pouco e até mesmo, depois de dado momento, permanecer estagnada.


UMA ÓTIMA SEMANA A TODOS
ABRAÇOS MALU

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

ANDROPAUSA E PILATES

A ANDROPAUSA OU CLIMATÉRIO VIRIL são termos usados para designar um quadro clínico de diminuição do hormônio masculino testosterona, que ocorre em uma parcela significativa de homens acima de 60 anos ou mesmo um pouco antes, a partir dos 50 anos. Determinados hábitos de vida e o stress psicogênico são alguns dos fatores contribuintes para esta ocorrência mais precoce.
O hormônio masculino testosterona é produzido por células nos testículos, que são estimulados por hormônios produzidos pela hipófise. Na adolescência, é responsável pelas características sexuais, como desenvolvimento do pênis, aumento dos pelos, mudança de voz e aumento da massa muscular. O testículo é responsável por 90% da produção de testosterona. Entre os fatores que podem determinar a andropausa está a falência e atrofiamento do testículo, que pode ocorrer em qualquer idade e causar a queda na produção do hormônio masculino. A diminuição da testosterona pode ser determinada também quando a hipófise para de exercer sua função de estimular os testículos.
A andropausa não é um processo isolado, mas parte de outro mais amplo que é a senescência, a qual ocorre a partir de várias idades e por uma série de fatores variados, dos quais o mais importante é a hereditariedade. Na senescência ocorre uma série de alterações nos níveis circulantes de hormônios, neurotransmissores, vitaminas e diversas outras substâncias, sendo que algumas destas alterações bioquímicas colaboram para o declínio da função androgênica do homem idoso.
A base fisiológica que fundamenta a variação individual nos níveis de testosterona observada em qualquer idade não está ainda bem elucidada. Além do próprio processo de envelhecimento, existem fatores fisiológicos e outros relacionados ao estilo de vida (alimentação, atividade física, sexualidade etc.) que influenciam a variabilidade destes níveis, e que devem ser considerados na avaliação do homem idoso. A hereditariedade é um deles.
Quanto aos fatores relacionados ao estilo de vida, uma dieta vegetariana e rica em fibras parece estar associada a níveis mais elevados de testosterona do que uma dieta a base de carnes com altos conteúdos lipídicos.
O tabagismo parece favorecer os níveis de testosterona em cerca de 5% a 10% em relação a não-fumantes jovens ou idosos. No entanto, análises de multirregressão variada indicam que fumar mais de 10 cigarros por dia leva a uma andropausa mais precoce, trazendo o início da mesma para menos de 50 anos.
O abuso de drogas e de álcool também pode acentuar o decréscimo de testosterona próprio da idade. O estresse, tanto físico quanto psíquico, é um potente redutor androgênico. Também há indícios de que o estresse psicogênico e a depressão em homens não idosos possam contribuir para um quadro de andropausa cada vez mais precoce.
Mesmo que a senescência reduza os níveis de testosterona, doenças intercorrentes nesta fase podem acentuar o declínio da produção do hormônio. O infarto agudo de miocárdio e as cirurgias causam declínios transitórios, ainda que intensos da testosterona livre. Já doenças crônicas induzem reduções mais prolongadas. Homens idosos com diabete tipo 2 têm níveis reduzidos de testosterona. A insuficiência renal crônica, a síndrome de apnéia noturna e algumas patologias endócrinas também podem intensificar o quadro de hipoandrogenismo no homem idoso.
Sintomas da andropausa:
• Diminuição da massa muscular
• Aumento do peso, sobretudo, aumento da gordura abdominal (principalemente visceral)
• Tendência à anemia e osteoporose
• Diminuição do interesse sexual
• Queda dos pêlos sexuais
• Dificuldade de ereção
• Maior sonolência
• Dificuldade de concentração
• Problemas de memória e dificuldade de concentração
• Apatia e depressão
Para verificar o possível quadro de andropausa, devem ser feitos testes de sangue, que medem o índice de testosterona livre e total e o nível de prolactina, que, se elevado, reduz a testosterona.
Os testes de ereção devem ser feitos por um urologista e deve ser medida a densidade óssea (densitometria óssea). Os homens com idade acima dos 40 anos devem realizar a medição de testosterona regularmente, principalmente se apresentar diminuição do interesse sexual e dificuldade de ereção associados ou não aos demais sintomas.
A estimulação da secreção hormonal pelo próprio corpo e a reposição hormonal é fundamental para que os homens com andropausa possam levar uma vida normal. O paciente então pode se beneficiar com o aumento da massa muscular, diminuição da proporção de gordura e combate a anemia e osteoporose, aumento do libido. Porém, se houver exagero no uso, pode haver crescimento das mamas, aumento do numero de glóbulos vermelhos no sangue, retenção de agua e sais minerais, aceleração do crescimento de tumores na próstata (pacientes que fazem reposição devem fazer uma avaliação da próstata a cada 6 meses). O uso na forma de reposição não induz a formação do tumor e sim apenas estimula seu crescimento. Por isso a necessidade dos exames periódicos para fazer diagnóstico precoce.
É importante ressaltar que as mudança dos hábitos alimentares, com a supressão dos açúcares, o equilíbrio entre os lipídios ingeridos, a perda de peso, exercícios físicos regulares e o monitoramento dos índices hormonais são a chave para o restabelecimento de um padrão de vida.
A isso, o PILATES se insere como um excelente aliado para trazer benefícios e auxiliar o equilíbrio na produção dos hormônios, aumentar a resistência imunológica, equilibrar as funções orgânicas e promover a reparação celular.
fonte: www.flexuspilates.com.br

domingo, 24 de julho de 2011

Pilates e Alimentação

Para se manter em forma, ter força e energia para a correria de seu dia e ainda sobrar para a prática dos exercicios de Pilates, é necessário ingerir os alimentos certos, pois ficar com aquela sensação de que engoliu uma melancia inteira enquanto está fazendo sua aula, é no mínimo, desconfortável.
A Fruta é o mais perfeito alimento, gasta uma quantidade mínima de energia para ser digerida e dá ao seu corpo o máximo em retorno.
O único alimento que faz seu cérebro trabalhar é glicose.
A fruta é principalmente frutose (que pode ser transformada com facilidade em glicose), e na maioria das vezes 90-95 por cento de água. Isso significa que ela está limpando e alimentando ao mesmo tempo.
O único problema com as frutas é que a maioria das pessoas não sabe como comê-las de forma a permitir que o corpo use efetivamente seus nutrientes.
Deve-se comer frutas sempre com o estômago vazio. Por quê?
A razão é que as frutas não são, em princípio, digeridas no estômago, são digeridas no intestino delgado.
As frutas passam rapidamente pelo estômago, dali indo para o Intestino, onde liberam seus açúcares. Mas se houver carne, batatas ou amidos no estômago, as frutas ficam presas lá e começam a fermentar…
Você já comeu alguma fruta de sobremesa, após uma lauta refeição, e passou o resto da noite arrotando aquele desconfortável sabor restante?
É porque você não a comeu da maneira adequada.
Deve-se comer frutas sempre com o estômago vazio.
A melhor espécie de fruta é a fresca ou o suco feito na hora. Você não deve beber suco enlatado ou de recipiente de vidro.
Por que não? A maioria das vezes o suco foi aquecido no processo de vedação e sua estrutura tornou-se ácida.
Quer fazer a mais valiosa compra que possa? Compre uma centrífuga.
Você tem um carro? Venda-o e compre uma centrífuga.
Ela levará você muito mais longe. Ou simplesmente, compre a centrífuga agora!
Você pode ingerir o suco extraído na centrífuga como se fosse a fruta, com o estômago vazio.
E o suco é digerido tão depressa que você pode comer uma refeição quinze ou vinte minutos mais tarde.
Isso não sou só eu quem diz.
O Dr. William Castillo, chefe da famosa clínica cardiológica Framington, de Massachusetts, declarou que fruta é o melhor alimento que podemos comer para nos proteger contra doenças do coração.
Disse que as frutas contêm bioflavinóides, que evitam que o sangue se espesse e obstrua as artérias. Também fortalecem os vasos capilares, e vasos capilares fracos quase sempre provocam sangramentos internos e ataques cardíacos.
Há pouco tempo, conversou com um corredor de maratona, num dos seminários de saúde que ele promove.
Ele era bastante cético quanto à natureza, mas concordou em fazer uso correto de frutas em sua dieta.
Sabe o que aconteceu?
Diminuiu 9,5 minutos de seu tempo de maratona.
Cortou seu tempo de recuperação pela metade, e qualificou-se para a Maratona de Boston, pela primeira vez em sua vida.
Agora, uma coisa final que gostaria que mantivesse em sua mente sobre frutas.
Como se deve começar o dia?
O que se deve comer no café da manhã?
Você acha que é uma boa idéia pular da cama e encher seu sistema com um grande monte de alimentos, que levará o dia inteiro para digerir?
Claro que não.
O que você quer é alguma coisa que seja fácil de digerir, frutas que o corpo pode usar de imediato, e que ajuda a limpar o organismo.
Quando levantar-se, e por tanto tempo durante o dia quanto for confortavelmente possível, coma só frutas frescas e sucos feitos na hora.
Mantenha esse esquema até pelo menos o meio-dia, diariamente.
Quanto mais tempo ficar só com frutas em seu corpo, maior oportunidade de ele limpar-se.
Se você começar a se afastar do café e dos outros lixos com que costuma encher seu corpo no começo do dia, sentirá uma nova torrente de vitalidade e energia, tão intensa que você mal acreditará.
Tente durante os próximos dez dias e veja por si mesmo.

Texto retirado do site http://www.revistapilates.com.br/

UM GRANDE ABRAÇO A TODOS. UMA ÓTIMA SEMANA!!!!!

terça-feira, 28 de junho de 2011

2a. CORRIDA E CAMINHADA TURÍSTICA DE PIRACICABA

CORRIDA 10Km e 5,5Km
CAMINHADA 4Km

participe: www.catagua.com.br/corridaturisticapiracicaba
Inscrições até 01 de julho
Mais informações no Personal Pilates
Falar com MALU

Vamos todos participar!!!!
Um grande abraço
MALU

segunda-feira, 27 de junho de 2011

PILATES E GESTANTES

Muitas mulheres acreditam que o Pilates seja um dos melhores exercícios para se fazer durante e depois da gravidez. E elas estão corretas.
Uma das principais razões que torna o Pilates tão bom para as gestantes, é porque ele é uma atividade física de baixo impacto e ótimo para auxiliar no fortalecimento dos músculos centrais do corpo. Se o abdômen, as costas e o assoalho pélvico estão tonificados, eles suportarão com mais conforto e resistência o período de gestação e a hora do parto.
A capacidade de adaptação dos exercícios também é um fator importante que torna o Pilates a atividade física predileta das grávidas. A maioria deles pode ser modificada de acordo com cada fase da gravidez para permitir exercícios mais suaves ou focados em determinada área do corpo.
Além disso, o Pilates também é famoso por ajudar as novas mamães a recuperar a forma física que tinham antes da gravidez.
É sempre importante relembrar que, antes de iniciar qualquer atividade física, a mãe procure por orientação médica. Se ela nunca fez Pilates antes, é interessante que procure por uma turma de Pilates no Pré-Natal, ou então um instrutor que possa lhe dar total atenção durante a prática dos exercícios.
Pilates não aumenta a pressão sobre as articulações ou sobre as costas. Na verdade, as costas serão fortificadas, assim como o estômago e os músculos ao redor da região pélvica – o que permite uma mais fácil gestação, ao parto e recuperação.
Confira como os exercícios de Pilates pode ajudar em cada fase da gestação:
Pilates no primeiro trimestre de gravidez
Nos primeiros três meses de gestação, as mudanças nos hormônios podem fazer com que a mulher se sinta exausta e com náuseas. Contudo, exercícios leves podem ser feitos e, muitas vezes, podem realmente energizar o corpo e fazer com ela se sinta melhor fisica e mentalmente.
Pilates no segundo trimestre de gravidez
O segundo trimestre é, para a maioria das mulheres, a parte mais fácil da gravidez. Embora o corpo esteja mudando e se expandindo, os níveis de energia são geralmente elevados, e é aí que os exercícios devem ser maximizados, para proporcionar todas as vantagens do treinamento para os meses seguintes.
Pilates no terceiro trimestre de gravidez
No terceiro trimestre, as mulheres tendem a se sentir pesadas e com a constante sensação de desconforto. Os hormônios começam a se projetar para afrouxar as articulações do quadril podendo causar dores nas costas. O peso adicional do bebê pode modificar a noção de equilíbrio, as penas podem ficar inchadas e varizes podem se desenvolver. O Pilates ajuda a todas estas condições associadas à gravidez, reforçando os músculos centrais que, por sua vez, levam à melhora da postura e da circulação.
Trabalho de Parto
A melhora no tônus muscular e na circulação, obtida através da prática do Pilates também será de valor durante o trabalho de parto. Uma circulação melhorada permite uma maior oferta de oxigênio para o útero e torna o parto menos sofrido para o bebê. E, claro, as técnicas de respiração utilizadas no Pilates podem ajudar com o controle da respiração durante o parto.
Fonte: http://www.pilates.co.uk/Pilates-And-Pregnancy.htm

segunda-feira, 20 de junho de 2011

PILATES E ESCLEROSE MÚLTIPLA

A esclerose múltipla é uma doença neurológica crônica, de causa ainda desconhecida, em que se observa maior incidência em pessoas do sexo feminino. Distúrbios na marcha, na força, dormências, fraqueza muscular, rigidez articular e falta de coordenação motora estão entre os principais sintomas. Em estágios mais graves, a EM pode acarretar episódios de infecção ou insuficiência respiratória, que devem ser tratados com atenção e rapidez para minimizar o desconforto do paciente e coibir uma piora do seu estado geral.
A variedade dos sintomas e os diferentes graus de incapacidade dificultam a elaboração de guias e padronizações para a orientação de exercícios para essa população. No entanto, é certo que a execução de exercícios suaves é recomendada para as pessoas que carregam esta doença.
Estudiosos no assunto recomendam a aplicação de exercícios para desenvolvimento da força muscular. Por isso, o Pilates é tão indicado. A técnica colabora na melhora da coordenação das atividades conscientes e inconscientes. Um dos grandes benefícios é a diminuição da fadiga, mal que também afeta os pacientes com EM.
Os exercícios devem seguir uma lógica crescente de funcionalidade onde, para aqueles com maior déficit motor, sugere-se a aplicação de movimentos passivos, como, alongamentos lentos para os principais grupos musculares. A reeducação diafragmática e da musculatura acessória também entra na lista de benefícios.
Para indivíduos com maior nível de força são indicados alongamentos ativos e exercícios de resistência, com ou sem a ação da gravidade e com número de repetições próximo ao nível da fadiga.
O mais importante é que o paciente deve ter a aprovação médica para realizar os exercícios. Além disso, professor e médico devem estar em constante troca de informações sobre o paciente, pois é o médico que poderá permitir intervenções coerentes ao longo do tempo.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

MÉTODO PILATES - TREINAMENTO SUSPENSO

Agora no Studio Personal Pilates vocês poderão contar com a novidade do trabalho do treinamento suspenso associado ao método pilates.

Mas o que é isso?? Explicamos: é  um sistema de treinamento que faz uso do peso corporal, permitindo centenas de exercícios funcionais, para pessoas de todos os níveis de habilidade e condicionamento físico. Essa modalidade tem alta eficiência na melhoria da estabilidade do ‘Core’, fortalecimento funcional, flexibilidade e equilíbrio. Usuários de todos os níveis de condicionamento físico podem realizar exercícios funcionais para todo o corpo, empregando a resistência oferecida pelo peso corporal, ajustando e graduando de 0 a 100% a intensidade de trabalho.

A partir de agora, com mais esse acessório, as aulas do Studio Personal Pilates irão ganhar muito mais desafio e multiplicar as possibilidades de exercícios. A técnica, aplicada no solo e nos aparelhos específicos do método, é facilmente adaptada ao Treinamento Suspenso, e  permite explorar diversas posições com diferentes sobrecargas para o “core”.
O treinamento de estabilidade do “core” é essencial para a qualidade de vida e o desempenho esportivo. Os músculos do ‘centro’ são capazes de gerar uma força de conexão para todos os outros movimentos, estabilizando a coluna e fornecendo uma base sólida para os movimentos das extremidades. E isso é essencial para indivíduos saudáveis, mas também para aqueles com lesões na coluna, como hérnias e protusões discais. Essas lesões precisam ser "contidas" por um core forte, que as estabilizem e não as deixem progredir.
 
Um grande abraço a todos!!! E agradecimento ao meu grande querido amigo e aluno PEREIRA!!!!
 
 

quarta-feira, 4 de maio de 2011

CUIDE DA SUA COLUNA COM O PILATES

O método Pilates é indicado para todos os tipos de dores lombares. Os exercícios abdominais oferecem mais força e flexibilidade a coluna, fazendo as dores desaparecerem.
A estabilidade da coluna lombar depende dos músculos do “centro do corpo” fortes e trabalhados, trazendo flexibilidade e força em conjunto para transformar o abdomem e a coluna resistentes, o que é essencial para a vida diária e pratica de atividades esportivas.
O método Pilates oferece ao aluno exercícios que aumentam a estabilidade lombar, possibilitando a reeducação e a relação dos membros inferiores (bacia) desbloqueando a cintura.
O trabalho é focalizado não só na força dos músculos do tronco, mas também no desenvolvimento, na coordenação e no melhor padrão das atividades musculares.
Os movimentos fisiológicos do Pilates ajudam a eliminar as tensões e desequilíbrios que refletem na coluna cervical, ajudando também na liberação dos movimentos da cabeça.
Ao final, o que se apresenta é um tronco estável, forte e flexível para organizar membros inferiores e membros superiores alinhados e fluentes.
 

quarta-feira, 20 de abril de 2011

MÚSCULO ILIOPSOAS E PILATES

FOTO ACIMA: Exemplo de exercício para fortalecimento do iliopsoas

Quando realizamos um abdominal, seu principal flexor do tronco, o músculo iliopsoas, frequentemente realiza a maior parte do trabalho enquanto os abdominais não são completamente recrutados.
Os músculos iliopsoas se originam na região lombar e então puxa as vértebras desta região durante cada repetição do exercício, especialmente quando seus pés presos ou ancorados, ou as repetições são realizadas rapidamente (“aos arrancos”). Muitos exercícios abdominais podem levar ao desequilíbrio entre o iliopsoas e os abdominais, uma postura inadequada e dores na região lombar.
Quando há desequilíbrios musculares entre os músculos abdominais e o iliopsoas todos os exercícios de flexão de quadril representam uma grande carga compressivas nos discos intervertebrais e puxam as vértebras lombares para frente e para baixo.
Especialmente para os iniciantes, os exercícios abdominais devem ser realizados sem qualquer tipo de flexão de quadril para evitar que a ação do iliopsoas e consequentemente aumentar os riscos de lesões para a região lombar.
Ifbb 38
Vista do músculo iliopsoas mostrando sua linha de ação na região lombar. Note que, as áreas sombreadas (no lado esquerdo) são os pontos de inserção do iliopsoas em cada vértebra da região lombar.
Direitos Autorais
www.ifbb.com

segunda-feira, 11 de abril de 2011

MÉTODO PILATES PARA AS CRIANÇAS



Existem várias diferenças entre o modo de vida das crianças de ‘antigamente’ para as de hoje. Antes, até mesmo para as brincadeiras era necessário um certo esforço físico — subir em árvores no esconde-esconde, jogar futebol em terrenos baldios, correr em carrinho de rolimã, queimada… Hoje, para a maioria, a diversão é dentro de casa ou apartamento; entenda-se televisão, computador e vídeogame. Sem contar com a agenda corrida de colégio, curso de línguas, educação física, quase sempre carregando bastante peso na mochila. Isso tudo, além de estressar os pequenos ainda gera sequelas na postura, entre outros problemas. Para tratar tudo isso, o Método Pilates pode ser uma poderosa ferramenta.
Mas quando se fala em pilates para crianças, uma das primeiras perguntas a vir nas mentes dos pais é: “Mas não é uma atividade muito puxada para meu filho? Não vai comprometer seu desenvolvimento?”
Segundo os especialistas, é justamente o contrário. O pilates só tem a contribuir para o desenvolvimento das crianças, uma vez que além de fortalecer a musculatura para suportar a carga da mochila, corrige a postura, introduz à disciplina, concentração e ainda serve de canal para extravasar a energia típica da idade.
Segundo a professora Bianca Dore, o pilates pode ser aplicado a partir dos quatro anos de idade, desde que em turmas específicas, só com crianças. Ela explica que os exercícios são aplicados de forma lúdica, como uma brincadeira, com o objetivo de conquistar os pequenos alunos à pratica do método e assim corrigir não só os maus hábitos posturais motivados pelo peso da mochila, mas também pela forma relaxada de sentar diante da tevê, do computador e até mesmo na cadeira escolar.
Na fase entre a infância e a adolescência ocorrem as maiores transformações no nosso corpo, que cresce de forma acelerada, definindo-se. O peso exagerado da mochila escolar e a forma inadequada de sentar-se são umas das principais causas de problemas ortopédicos futuros. O pilates tem sido bastante procurado, pelos pais bem informados sobre o método, por prevenir, minimizar e corrigir desvios posturais através de exercícios que se adequam e respeitam os limites e as necessidades de cada criança.
Luciana Fontes, mãe de Gabriela, de 10 anos de idade, conta que resolveu colocar a filha no pilates por considerar ser a forma mais correta de ela se exercitar sem agredir a musculatura em desenvolvimento — o que, em sua opinião, geralmente acontece em outras atividades físicas.
“Além disso, tem o auxílio direto do professor. Decidi inscrevê-la nas aulas para consertar a postura, pois percebo que às vezes ela fica um pouco relaxada. Ela já fez balé e pratica vôlei no colégio. Tem toda uma herança de arte e exercícios físicos na família”, comenta Luciana.
O fato de ser professora de pilates fez com que Marivani Rocha colocasse seus dois filhos gêmeos, Gabriel e Pedro — hoje com quatro anos de idade — nas aulas do método. E isso já faz dois anos. “Desde cedo procurei fazer os exercícios com eles, pelo menos uma vez por semana. Eles têm muita energia e temos que fazer com que a gastem.”
Marivânia também comenta o fato de as crianças estarem muito mais sujeitas ao sedentarismo. “Hoje tem muito computador. Logo cedo, as crianças já sabem ligar, entrar na internet, visitar sites, jogar. Passam as horas vagas sentadas diante dele. Antes as brincadeiras eram correr, subir em árvores; precisava de mais de esforço físico.”
Bate-papo » Bianca Dore – educadora física
Quais os benefícios do pilates para crianças?Ele trabalha a consciência corporal de forma muito forte. Observamos que as crianças, por hábitos de vida mesmo, também pela carga de escola, carregar mochila, a postura que ela tem de ficar por muito tempo nas cadeiras do colégio, estudando, acabam desenvolvendo uma má postura decorrente dessas atividades diárias deles. O que a gente tenta fazer no pilates é trabalhar exatamente nessa parte de consciência corporal, pois não podemos trabalhar com eles a parte de fortalecimento em si. A gente alonga a musculatura deles. É incrível, hoje em dia, o grau de encurtamento dos jovens e crianças; isso porque não praticam mais tanto atividades físicas como antigamente, têm a vida muito mais corrida: saem do colégio e vão para o inglês ou outra atividade, muito tempo no computador, e a atividade física em si fica de lado. Então trabalhamos em cima da consciência corporal para refletir em cima de uma postura mais adequada.
E o que significa “encurtamento”?O ideal seria que todo mundo praticasse uma atividade física que pudesse alongar determinados grupos musculares. E o que acontece? Como eles passam muito tempo na postura sentada, na frente da televisão, do computador, no colégio, eles acabam encurtando, principalmente, essa musculatura posterior das pernas e encurvando os ombros, o peitoral, a musculatura anterior. No pilates, a gente vai justamente tentar trabalhar isso; alongar essa cadeia posterior, que vai possibilitar uma postura em pé mais ereta, mais consciente, e também abrir mais o peito, facilitando o alinhamento da coluna.
Há uma idade mínima para a criança ingressar no pilates?Podemos trabalhar com crianças a partir dos quatro anos. O ideal é que elas trabalhem em grupos separados, pois não temos como trabalhar crianças junto com adultos porque é algo diferenciado, a aula é voltada para elas. De preferência, que essas crianças mais novinhas façam um esporte associado ao pilates. Mas não tem uma regra de idade; a partir dos quatro anos, elas já conseguem entender o que estão fazendo. Nós vamos moldando aos poucos. Tem que ser algo lúdico, meio como uma brincadeira. Aí eles vão ganhando disciplina, concentração, tranquilidade, aliviam a mente.
Praticando o pilates eles suportam melhor o peso da mochila?Sim, porque os músculos vão estar mais bem alongados, preparados para esse suporte de carga, além da consciência deles em relação ao corpo.
Autor: Isaac Ribeiro repórter
Fonte: http://tribunadonorte.com.br